Músicas do Gramofone: Solitária


Hoje amanheci ouvindo a nova versão da música “Solitária” da Banda Mais Bonita da Cidade, confesso que num primeiro momento gostei mais da antiga, mas ouvindo de novo, fiquei realmente arrepiado com o verso que foi colocado no meio da música, apesar de achar que ele não tem muito haver com o contexto da canção e ainda preferir a versão antiga, a poesia transborda por entre os acordes da música e dá uma sensação diferente a quem tem o prazer de ouvir. Então depois de experimentar essa sensação diferenciada fiquei faminto por mais e eis que encontrei a poesia inteira sem os cortes que foram feitos para se adequar a gravação.

Leiam e ouçam a música:

Se você quer ser um guitarrista do Iron Maiden

Extravagâncias, amantes, dívidas,
separações, alegações de incesto,
morte por febre,
se você quer ser um guitarrista do Iron Maiden
tem que carregar consigo um Lord Byron.
Tem que ser antigo como são antigas a bactéria,
a chaga de Cristo
e tudo o mais que a medicina não deu cabo.
De teu motor valvulado, corrosivo e perecível
você tem que extirpar cadeados de lamentos,
cruz e sacrifícios.
Você tem que ser teu próprio pronto socorro,
da selvageria que é a vida,
do osso quando arrebentam
pancadarias na arquibancada,
uma taça feita de crânio, as perfurações,
as úlceras, as lesões, as ofensas,
as injurias, os agravos.
Você tem que saber que não é invulnerável,
que vão te fazer a corte e os cortes,
nunca as suturas.
Você é antigo na dor,
faz de sangrias coaguladas o teu pranto.
Você colocou a mão esquerda na labareda,
deu-a de bandeja à palmatória.
Com a outra você cometeu haraquiri.
E o show ainda nem chegou na metade.

Luís Felipe Leprevost

 
Solitária 

Quando você ler esse bilhete
Já estarei na rodoviária
Quem sabe até na alta estrada

Viajei pra um cidade
Chamada solitária
Cansei de ser joguete cacete
Cansei de ser tão maltratada
Cansei de ser joguete cacete
Cansei de ser tão maltratada

Deixei bife e arroz no microondas
Joguei na privada aquela rosa
E a aliança eu deixei pra você pagar as contas
Não levo comigo celular nem a escova
Somente sua lâmina de barbear
E uma desesperança

Chegando lá vou ficar bêbada de querosene
Vou raspar os cabelos até perder a cabeça
Vou cometer haraquiri
Mesmo sabendo que nesse momento você ri

Vale lembrar que um dos compositores de “Solitária” é o próprio Luís Felipe Leprevost e fica meio aparente que esta foi uma espécie de homenagem ao poeta que tem “emprestado” seu verso a tantas músicas da Banda. Comente aí o que achou, se gostou ou não e caso queira entrar em contato, além do formulário do blog, pode nos enviar sugestões e dicas pelo msn gramofonelunar@live.com

Caso queira ouvir a versão original acesse a Radio Lunar

Você também pode gostar de ler e ouvir:

Cantiga de Dar Tchau A Banda Mais Bonita da Cidade 

10 pensamentos sobre “Músicas do Gramofone: Solitária

  1. Raquel disse:

    Tenho acompanhado o blog faz um tempo e sempre tive um carinho muito grande por cada post de vocês. Essa poesia, taça feita de crânio, saturas, harakiri, eu realmente fiquei boquiaberta.
    Sou uma grande fã do blog!
    Beijos com canela

  2. Raquel disse:

    perdão,
    *suturas

  3. pedro disse:

    Esse poema me soou muito como o lado do homem dessa história

    • Na verdade, “Solitária” é uma canção gravada pela Banda Mais Bonita da Cidade e composta pelo mesmo autor do poema de cima, que se chama: “Se você quer ser um guitarrista do Iron Maiden”. Para ouvi-la basta clicar no player na página ou na Rádio Lunar aqui no Blog. Obrigado pelo comentário e fique à vontade!

  4. Dabliu disse:

    Muito bom, só discordo de quando você diz que o poema nada tem a ver com a música. Na minha interpretação – posso estar errado – o poema serve para revelar a ironia da canção. Na canção, a pessoa que resolve “ficar bêbada de querosene” e “raspar os cabelos até perder a cabeça” é acusada de ser fraca pelo poeta, que diz que a vida é assim mesmo, e se “você quer ser um guitarrista do Iron Maiden”, ou seja, atingir seu objetivo primordial na vida, tem que saber que terá de ser “teu próprio pronto socorro”. Enfim, acho que de quem quer que seja a ideia de incluir o poema na canção, atingiu com ele um patamar genial.

  5. Tive que logar aqui, não podia deixar passar essa postagem sem comentar. Muito bom! 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s