Músicas do Gramofone – I’m your puppet

Eu Sou Seu Fantoche – Gregory And the Hawk

Eu sou seu fantoche
Eu vou aprender a amar isso
E eu vou me despir
Se você precisar
Mas por favor, não precise
Se você precisar
Eu irei gritar
Teça um segredo
Eu irei varrê-lo
Para de baixo do carpete
Onde você o guardará
o quão doentio é isso?
Eu queria valer alguma coisa
Para você
Reveja meus desejos
Por um clima justo
Pois eu sei que nas nuvens, com chuva ou com neve
Você não estará
O quão doentio é isso?
Eu queria valer alguma coisa
para você
Você também pode gostar de ler e ouvir:

Meredith e o Falcão

Às vezes nem é necessário procurar muito para achar algo que valha a pena.
Tendo conhecido uma de suas músicas na voz de outras moças no YouTube, esse poético gramofone que vos fala, achou em Meredith Godreau muito mais do que esperava…

Meredith é conhecida pelo pseudônimo de Gregory and the Hawk (Gregory e o falcão), que vem do nome de seu irmão, “Gregório”, e de seu falcão de estimação imaginário, de sua infância. Cantora e compositora americana, natural de Medfield, Massachusetts, domina piano, violino, viola, clarinete, oboé e violão.

Selecionamos duas de suas músicas. Aprecie:

Boats and Birds (Botes e Pássaros)

Se você for minha estrela
Eu serei seu céu
Você pode se esconder de mim e voltar á noite
Quando me propulcionar preto você mostrará sua luz
Eu vivo para você brilhar
Eu vivo para você brilhar
Mas você pode fugir de foguete de mim
E nunca voltar se você achar outra galáxia
Longe daqui com mais lugares para voar
Apenas deixe-me sua poeira para me lembrar de você
Se você for meu bote
Eu serei seu mar
Uma profundidade de puro azul apenas para a curiosidade investigar
Esvaziando e escoando e empurrado pela brisa
Eu vivo para fazer você livre
Eu vivo para fazer você livre
Mas você pode velejar para o oeste se quiser
E antes do horizonte até que eu não possa ver você
Longe daqui onde as praias são extensas
Apenas deixe seu rastro para me lembrar de você
Se você for minha estrela
Eu serei seu céu
Você pode se esconder de mim e voltar á noite
Quando me propulcionar preto você mostrará sua luz
Eu vivo para você brilhar
Eu vivo para você brilhar
Mas você pode fugir de foguete de mim
E nunca voltar se você achar outra galáxia
Longe daqui com mais lugares para voar
Apenas deixe-me sua poeira para me lembrar de você
Para me lembrar de você

Isabelle

Em um mundo de poemas e pinturas
Acho que isso significa que eu estou completo
E também significa que eu estou quebrando
Mas, Isabelle, o que eu posso fazer
Se eu me apeguei nele, nesse homem que você ama?
E, Isabelle, o que eu posso fazer,
Se a força dele fez com que eu colocasse ele pra fora?
E eu sei que é dificil
Entender tudo isso aqui
No seu pleno jardim
E é meio que cansativo ficar de olho nele
Só pra olhar o que ele fez até agora
Mas, Isabelle, o que eu posso fazer?
A ultima coisa que eu preciso é ter que acabar por perguntar…
E, Isabelle, o que eu posso fazer?
Os profetas fazem isso difícil
Isabelle, o que eu posso fazer
Em poucas semanas você está fora de visão?
E, Isabelle, o que eu posso fazer,
Só porque isso parece certo?
E os fundamentos já estão velhos
E eles já foram enterrados
Eu tenho feito isso várias vezes
Mas a situação continua indo pra baixo
E eu não tenho caminho de volta
Então, Isabelle, tente entender.
Eu sei o que dizer
Mas não é certo dizer isso
Como eu quebro isso com ele?
A morte de um dos dois está pra chegar
E tudo o que eu penso agora
É achar um jeito de me afundar e de fugir
Isabelle, o que eu posso fazer,
Com a dor que a faca está causando em você?