Agridoce

“Que ano estranho, esse tal de 2011. Começou cheio de promessas, misterioso, e de repente se tornou quente, atribulado, atropelador. Ano de reviravoltas. Tretas no mundinho independente, muitos shows gringos e festivais, muita gente lançando disco bom e ninguém sabendo, muita gente falando merda e todo mundo ouvindo. Pra mim particularmente, um ano extremamente produtivo criativamente, de muito esforço braçal para coisas a longo prazo, de coragem para desconstruir velhas fórmulas e apostar que a arte vence no final. Ano de ter paciência, enfim. Parece ter sido hora de plantar, de cultivar.
Se minha esperançosa intuição estiver correta, 2012 será o ano de colher.”

O ano de colher muita boa música com certeza! Já bem divulgado, conhecido e (algumas vezes) não muito bem aceito pelo público de Pitty, o projeto paralelo “Agridoce” mostra um outro lado da cantora, música e compositora baiana.
Em conjunto com um dos músicos de sua banda, o guitarrista Martin Mendonça, Priscilla Novaes Leone parte para um estilo semelhante ao folk, com o qual ela inclusive brincou chamando “fofolk” (folk fofo). O CD conta com músicas em português, inglês e francês; com uma atmosfera bem introspectiva e arranjos lindamente melancólicos.

Para alguns uma descaracterização da Pitty à qual todos estão acostumados, mas sem dúvidas, uma prova de que ela não é “rasa e tem muito a mostrar”. Até mesmo por ter sido produzido no período em que a cantora deveria estar de férias, segundo ela, em entrevista para o site G1: “Eu sou meio ‘musicaholic’ mesmo, mas pode ser que num outro momento sinta vontade de fazer outra coisa. Gosto de produzir, criar, isso me faz feliz. Quem sabe nas próximas férias eu não viaje…”, diz Pitty, que completa rindo: “Para assistir a algum festival lá fora.”

Aprecie conosco algumas das faixas do disco:

Dançando

Say

Ne Parle Pas

O novo muitas vezes causa estranheza, principalmente quando mexe com algo com que já estamos familiarizados e acostumados. Mas isso também pode representar aquela cena triste da criatividade definhando. Pitty diz: “Tenho um pavor pessoal a mais do mesmo, mesmo que pra alguns esse “mesmo” seja bom. Eu quero é o futuro, seja lá o que ele for.”

20 Passos

“Feche os olhos quando eu for mostrar o meu mundo pra você”

Gostou? Comente, compartilhe, ouça, adquira e celebre a boa música brasileira!

Você também pode gostar de ouvir e ler:

A Desenhista | É demais pra mim | Quer Um Presente?