Das Flores Que não Plantei

Peço que se esqueça do passado que não veio
e também das flores que não plantei
Peço que se atenha ao enredo sem rodeio
e aquelas dores que à tarde eu reguei
Peço que se espelhe no retrato que não tive
e nos amores que nunca amei
Peço que se espalhe ao vento e então se vire
na tela as cores da desculpa que não dei

Mas se não for pedir de mais
por favor se lembre daquele rapaz
que tatuou seu rosto à giz
em cima daquela cicatriz
Mas se não for pedir de mais
por favor inale esse amor fugaz
e então me cale assim por um tris
na rima pequena que não diz

 

E aí o que achou? Participe, comente e compartilhe!

Você também pode gostar de ler ou ouvir:

Juliette Katz | Ludov | Banda Gentileza

Deixa Acontecer Primavera

Só deixa-me permanecer

Sempre por perto.
Mas não sozinho.
Vez e outra, olha-me, em seu jardim
através da vidraça.
Cuida-me com seus olhos
e com zelo, vou regá-lo.

Só deixa-me saber
que está em casa.
sua espera não será solidão
Vez e outra, vou lhe procurar
sob o beiral.
Cuido-lhe com meus olhos
e vejo emoldurada na janela.

Só deixa-me esperar
o tempo necessário.
Com esperança partilhada,
Vez e outra, perceberemos
Já nasceu o sol.
Permaneço aquecido, e cuido
com carinho, de suas rosas.

Só deixa acontecer,
O inverno passar.
As chuvas da última estação
Dessa vez, atrasaram os botões.
Mas já se fez primavera
E as cores do seu jardim
Logo invadirão sua vista.

Só abre a janela e a porta
e vem colher essas flores
Vem dançar, aqui fora, comigo.
Vez e outra, confessarei
por você, meu carinho
Enroscar-lhe-ei uma flor nos cabelos
E sorriremos correspondidos.

(Jorge Carlos Rodrigues de Freitas)

Se quiser conferir o original:  Blog do Tio Jorge

Músicas do Gramofone: Versos Simples

Chimarruts Seria uma mistura de chimarrão com chucrutes

Não, na verdade esse nome diferente não tem nada haver com isso! Quer dizer, tem haver com chimarrão, pois a banda nasceu através dos encontros que os membros: Rafa, Tati, Sander, Diego, Nê, Vinícius, Emerson e Rodrigo realizavam para tomar chimarrão e tocar violão em Porto Alegre.  Desde 2000 na estrada, primeiramente com um trabalho independente, que alcançou grande espaço na mídia gaucha e a partir de 2002 partindo para uma trajetória mais profissional, essa banda gaucha de reggae brasileiro vem conquistando novos fãs e nos presenteando com músicas recheadas de bom gosto e poesia.

Apesar de não ser algo novo e fugir um pouco da perspectiva do Gramofone, selecionamos uma das músicas mais conhecidas da banda e de longe uma das melhores.

Chimarruts – Versos  Simples

Sabe, já faz tempo,
Que eu queria te falar
Das coisas que trago no peito

Saudade,
Já não sei se é a palavra certa para usar
Ainda lembro do seu jeito

Não te trago ouro,
Porque ele não entra no céu
E nenhuma riqueza deste mundo
Não te trago flores,
Porque elas secam e caem ao chão
Te trago os meus versos simples,
Mas que fiz de coração.

Sabe, já faz tempo,
Que eu queria te falar
Das coisas que trago no peito

Saudade,
Já não sei se é a palavra certa para usar
Ainda lembro do seu jeito

Não te trago ouro,
Porque ele não entra no céu
E nenhuma riqueza deste mundo
Não te trago flores,
Porque elas secam e caem ao chão
“Te trago” os meus versos simples,
Mas que fiz de coração.