Aqueça e esqueça

Deixe as coisas pegarem fogo.
Aproveite esse calor enquanto puder.
Aqueça as mãos, reluza os olhos.
Quem sabe até as cinzas não te aqueçam o coração?

Alimente as flamas indomáveis, inflamáveis
Me disseram que mesmo elas, ardentes,
precisam se suprir de ar, certamente.

Risque a pele com carvão
Demarque à brasa teu terreno
Não espere que a chuva alcance
antes, ouça a música e dance.

Ou então apenas descanse sereno.

E mesmo depois do mar,
dessa tristeza que cai do céu
Um pouco de luz, uma paixão latente
Algo para aquecer e acordar a mente.

Reviva as incandecências
Redija as incoerências

Mesmo que a paus e pedras.
Entre na dança!
Envolva-se nesse bailar explosivo, compulsivo.
Mesmo caindo, sustente-se no vento.

E então
balance sem pressa a cabeça.

E então
sorrateiramente esqueça.

 

Você também pode gostar de ler:

O Marimbondo | Uma Nota Só | Palavra e Sussurro