Estável

O cara é tarado por estabilidade profissional, mesmo que isso signifique ser um cara meio pobre estavelmente, por meio de um concurso público.

Esse cara procura estabilidade também em outras coisas da vida: seus dias de semana são estáveis porque ele não se atreve a beber quando tem vontade, porque é meio de semana. É dia de assistir ao jornal e à novela, jantar e dormir.

Depois de passar a semana inteira de forma estável fica meio difícil conviver com qualquer tipo de contraste. Então, sexta-feira é o dia de assistir ao Globo Repórter enquanto toma 1 latinha de Skol, porque ninguém é de ferro. No sábado, fica com um pouco de preguiça de almoçar fora, até porque essas comidas meio estranhas e frescas não lhe agradam muito.

De noite, aí sim. Se é solteiro, veste a gola polo, vai pra um sushi e depois pra balada ver umas meninas que ele não tem a mínima ideia de como pegar. Se é casado, sai também, claro. Vai pra uma lanchonete com luz fluorescente branca e TV ligada e toma suas latinhas de Brahma, curtindo a companhia da esposa ao assistir a Zorra Total e rindo do bordão da Valesca/Valéria bandida. Sábado é foda.

Já o domingo é o dia do descanso, já que essa mudança brusca de rotina pode fazer mal. Almoço em família, aquela macarronada sem gosto ou o churrasco de patinho, acompanhado de algumas Itaipavas, que vão fazer com que dê uma cochilada no sofá enquanto assistia às vídeo-cassetadas. Mas chega, porque amanhã é segunda, tem que estar bem pra vestir a camisa da repartição pública e manter sua estabilidade. Limpa a baba, vai tomar um banho. Já já começa o Fantástico.

Não viaja muito porque dá muito trabalho, gasta-se dinheiro e a comida de casa lhe faz falta, mesmo que por um final de semana. Mas acaba viajando, talvez nas férias (3 semanas muito bem dormidas em casa e vários filmes da Sessão da Tarde e 1 semana pra viajar, o melhor ponto de equilíbrio).

Provavelmente vai pro mesmo lugar pro qual sempre costuma ir, porque já conhece bem e não muita coisa nova que possa lhe assustar. O lugar tem uma praia legal, mas pra que gastar com essas comidas de praia? Camarão e peixe só se come em casa porque na praia dá alergia. Vai saber a qualidade da cozinha dessas barracas.

O almoço por kg é bem melhor porque mata um pouco da saudade da comidinha caseira. E sai baratinho, bom que economiza, ainda mais agora que tá trocando o Gol antigo por um Gol mais novo. De noite dá aquela preguiça. Pra que beber em bar se a Antarctica é R$6,00 ou ir pra um restaurante francês? Frescura demais, não aguento povo fresco. Melhor ir naquela lanchonete ali que tem um x-tudo baratinho e a latinha de Schin é R$2,00.

No fim das férias, até vai dar uma tristezinha de leve em ter que voltar a trabalhar. Mas daqui 1 ano tem mais. E também tem muito feriado, que é quase um prolongamento dos seus fins de semana, tá tudo bem. E como é bom ter uma vida estável pra chamar de sua. Levando a vida assim, logo chega a aposentadoria, que é seu objetivo de vida, já que a vida é muito intensa e ele merece um descanso após viver tanta coisa.

Danilo Miranda Rodrigues

Você também pode gostar de ler ou ouvir:

Maria, Lucia | Das Flores Que Não PlanteiIgor de Carvalho