Garimpando Sonhos


A razão ao peito se cala
Meu coração vive em memórias
Vou narrando no mudo minha fala
repensando impensadas histórias
Vejo de longe, sentindo de perto
Merecendo o que me foi reservado
lembranças traduzem meu livro aberto
faltando verdades, sobrando pecado
Abdiquei de uma vida por capricho
Aventurado gosto doce da ilusão
me desfiz das jóias, apeguei-me ao lixo
garimpando mentiras encontrei diversão
Sigo a tragédia do prazer desregrado
Entendendo a falta que a falta me faz
Fechei seus olhos, ocultando o culpado
Não julgue meu sonho, nem o que ele traz

Breno Massena

Você também pode gostar de ler ou ouvir:

Marcelo Jeneci | Maglore | Sobre Canecas e Chá

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s