Um Novo Ano


“As pessoas esperam um Ano Novo. O ano também espera pessoas novas, com novas atitudes, novos pensamentos, novos conceitos, mas sem preconceitos, sejam eles reais ou ilusórios, análogos ou contraditórios, façam ou não sentido. Nesse novo ano que se inicia, seja a novidade que você deseja!”

É o fim do mundo? Não! É só o fim do ano! E o começo de tudo, de novo!

O fim e o começo. O velho e o novo. A renovação das esperanças, dos sonhos, dos caminhos e das oportunidades. Novos pensamentos, novas conquistas, novos desafios e novas decepções! Por que todos tem a ideia que não acontecerão problemas, se são os problemas que nos fortalecem e dão o sentido a vida? Já imaginou se não existissem transtornos? Você não saberia o quanto é realmente feliz! Sempre ficaria aquela sensação de falta, de perda, de incompletude. As tentativas falhas de prever o que vai acontecer, nos colocando em posição totalmente passiva em relação ao mundo em que vivemos…

2012 será o começo de um novo fim para muitos; aqueles que acham que são como folhas secas levadas pela correnteza. Afinal é mais um dias depois do outro, mas também não é só isso. Quem leva a vida como uma poesia preenchida por frases inúteis não tem muito o que temer. É só um ponto final. Mas para quem diz ter encontrado um sentido, um rumo certo, um foco, será o começo de uma nova etapa; dessas que se repetem a cada 365 dias, mas que são sempre compostas por acontecimentos diferentes.

A beleza do novo, do inesperado, do que ainda não veio é tão atraente quanto assustadora, pois nesse novo ciclo que se inicia, você pode tomar um monte de caminhos, alguns corretos, outros nem tanto, mas se errar a direção, fique tranquilo, a vida foi feita pra quem erra, pra quem nela se deita, se deleita, se faz ser, pois quem não arrisca, não experimenta, não sabe mesmo o que é viver.

“Para ganhar um Ano Novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.”*

Nesse novo ano, o que mais importa é ser ou não ser. Pois então, seja e não espere que sejam por você.

*do poema “Receita de Ano Novo” – Carlos Drumond de Andrade


Você também pode gostar de ler:

A Anatomia de Uma Desaparição | A Guerra dos Gramofones | Vestida de Sonho

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s