Cala-me


De olhos fechados, te digo

De boca fechada, te vejo

De fé, na noite bucólica

Teu olhar transeunte

Se resigna

E se apaixona pelo meu.

De olhos partidos

Te clamo, te amo, me insano

Arritmia voraz

Teu tom de voz

Um som a sós

Que me cerca

Me abraça

E me permite

Assim calar.

Do blog Literatura Corrosiva

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s